domingo, 5 de setembro de 2010

Organização na cozinha para facilitar a dieta ou a vida mesmo

Depois do blog, algumas pessoas tem me perguntado várias coisas sobre a dieta. Como está sendo um processo lento, muitos nem acreditam que já eliminei 25kg nos últimos 2anos. Mas é fato.

Alguns me dizem que já procuraram este ou aquele nutricionista e não deu certo. Já tentaram remédio e não deu certo. Enfim, tem mágica? Qual é o mistério?
Não tem mágica e nem mistério, é uma questão de persistência, disciplina e truques que você vai aprendendo nesta caminhada árdua. Sim, é árdua esta tarefa. Não é fácil emagrecer, principalmente quando é alguém que gosta demais de comer.
Se não fosse assim, não precisava de dieta não é mesmo??

Mas na minha opinião, o que funciona são alguns truques para deixar a cozinha mais prática e a comida ter que ser bonita. Gordinho come com os olhos. E o olfato também precisa ser estimulado.

No sábado, eu cheguei da feira e comecei a higienizar os legumes e verduras e pensei que seria um post interessante falar sobre como eu organizo estas coisas na minha cozinha para ficar de uma forma fácil para que eu possa preparar uma salada ou qualquer outra coisa com simplicidade e rapidez.
Dá trabalho? Sim, dá trabalho no dia da compra, mas é muito prático para o resto da semana. Gosto da feira sábado porque tem uma só de produtos orgânicos.

1) Legumes e verduras
Se você realmente tá afim de iniciar uma dieta ou reeducação alimentar, ou qualquer forma que você queira chamar, experimente ir você mesmo na feira.

É um prazer. Uma delícia ver aquela profusão de cores, texturas, com certeza você vai encarar a salada com outros olhos.

Depois de voltar da feira já me sinto mais magra. Acho o máximo voltar carregada daquele monte de verde. Volto com o pensamento focado naquele tipo de alimentação.

Bom, vamos à prática.

Aqui em casa toda vez que tem feira, todos os legumes e verduras são lavados e deixados de molho com água e Hidrosteril (higienizador bactericida). Mesmo com orgânicos utilizo este procedimento. Não sei se é certo ou errado. Aliás, esta questão de higienização poderia ser um bom post de contribuição da Roberta Larica. Vou ver se ela está a fim de escrever sobre isto pra vocês.

Voltando ao "meu" procedimento ... neste momento já deixo brócolis e couve-flor em buquês e os talos são separados para o preparo de um caldo de legumes que vou falar dele depois.
O alho-poró, já tiro as folhas verdes e deixo para o caldo também.
As folhagens já são desprendidas do pé e higienizadas soltas.



Depois do tempo de molho, é hora de secar estes produtos.
Os tomates, abobrinhas e afins costumamos secar com papel toalha ou um paninho de cozinha separado só para os legumes. Deixamos tudo sequinho e acondicionamos em sacos para ir para a geladeira.

Tem hora que escrevo na primeira pessoa e outras vezes na terceira pessoa, porque esta é uma tarefa que fica comigo quando faço feira no sábado ou com a Sil durante a semana e as vezes fazemos isto juntas. Então acabo misturando tudo aqui.

Para as folhas, brócolis e couve-flor, utilizo uma centrífuga/secadora para saladas. Há diversos modelos no mercado. A minha é bem antiguinha. Nem lembro onde foi comprada. Abaixo a foto da dita-cuja que é uma mão na roda. Excelente investimento para quem curte uma saladinha.

As folhas neste momento já são rasgadas como se já fossem ser utilizadas imediatamente numa salada. Já guardo elas prontinhas para tirar do saco e colocar num prato para arrumação da salada.

Depois de secos, os legumes e verduras são todos acondicionados em sacos plásticos com o mínimo de ar possível e colocados na geladeira.



Desta forma, no momento que você resolver preparar uma salada, basta arrumá-la no prato. Já está tudo prontinho. Isto no dia-a-dia é de uma praticidade incrível.

2) Congelados - Parte I
Outra coisa que faço para facilitar a minha vida é a forma de congelar alguns itens importantes do cardápio.
Na minha dieta, utilizo basicamente filé mignon, peixe e peito de frango.
Procuro deixar as carnes e peixes congelados em porções individuais, pois fica mais fácil de separá-los na hora do preparo. Pois nem sempre a família toda irá compartilhar o mesmo prato que eu.
Desta forma consigo tirar, um filé de frango, um pedaço de salmão, etc.
No caso do salmão, descobri que no Sam's Club vende pacotes de 1,5kg de filés já cortados em pedaços.
O peito de frango costumo comprar aqueles pacotes de 1kg da Sadia que já fem com o filé individual.
O filé mignon compro no açougue e solicito ao açogueiro que corte em bifes ou escalope. Chegando em casa separo peça a peça e coloque em sacos plásticos de forma que se congele separadamente.
Carne moída, também solicito que já venha em porções que já estimo que serão as utilizadas no mês. Isto vai de porções de 75g para fazer uma receita de hambúrguer a 250g para um macarrãozinho, por exemplo.
Abaixo algumas fotos de como separo estas carnes para o freezer.





3) Congelados - Parte II
Outra coisa que costumo congelar é o milho. Infinitamente melhor que o milho enlatado é o milho natural. E geralmente uma lata de milho você não utiliza em uma única vez, aí fica aquele milho que sobra rolando na geladeira. Aqui em casa passamos a comprar o milho de espiga mesmo, cozinhamos e congelamos em porções pequenas.



Agora vamos falar do caldo que comentei lá no início do tópico.
Quando vou higienizando os legumes e verduras, sempre sobram talos de couve, de brócolis, folhas de alho poró ... como já é renovação do que tem na geladeira, as vezes é possível encontrar galhos secos de alecrim, hortelã, manjericão, uma única abobrinha, entre outros vegetais, então vou colocando isto tudo na maior panela que eu tenho. Evito brócolis e couve-flor pois dão um sabor muito acentuado. Até coloco, mas muito pouco. Acrescento água, um pouco de sal, as vezes coloco pedaços de frango ou carne e deixo ferver por 30 a 40 minutos. Deixo esfriar, coloco cerca de 750ml a 500ml em sacos e congelo. Utilizo depois para fazer risotos ou sopas. Nesta semana chegou meu livro Cozinha Natural Gourmet da Tatiana Cardoso e ela usa esta técnica de utilizar talos e aparas para preparar caldos também. Só não acrescenta sal e muito menos carne, pois é vegetariana. Mas o princípio é o mesmo. Você aproveita coisas que iriam para o seu lixo e transforma em uma baita ajuda para a sua cozinha.



3 comentários:

L. Martins disse...

Muito bacanas as tuas dicas. Obrigada por compartilhar!

Uma Dona de Casa Moderna disse...

Olá

Adorei seu blog e suas dicas :)
Parabéns!!

Juci Freitas (Cuca) disse...

Que bom que gostaram do blog. Aqui tem de tudo um pouco! Sintam-se em casa. Bj