segunda-feira, 9 de agosto de 2010

O prato predileto da minha família: risoto de camarão

Em toda data comemorativa, eu sempre penso em comida. Aliás, penso em comida sempre. A gula é o meu maior pecado. Bom, pelo menos eu acho né? Melhor nem falar nisto porque daqui a pouco começam a me "lembrar" de outros pecados.

Voltando à essencia do post ... eu queria fazer um almoço bem gostoso para comemorar este Dia dos Pais. Fiquei pensando em várias coisas e acabei no Risoto de Camarão. Em primeiro lugar, porque nós amamos risoto, principalmente de camarão e em segundo lugar, porque precisaria ser algo prático. Porque cozinhar no domingo tendo que dar conta de duas criancinhas, por mais adoráveis que sejam, não é moleza. Mas enfim, o risoto foi um sucesso. Meu marido adorou e isto é o que foi o mais importante.

Já tem um bom tempo que me apaixonei por risotos. Faço risoto com o que achar nos armários e já não uso medidas. É tudo no olho mesmo. Mas como eu queria compartilhar com vocês este risoto de domingo, resolvi medir tudo o que estava usando.

Os bons culinaristas vão querer me matar, quando eu estiver sugerindo um caldo pronto, já que o correto seria ter feito um bom caldo de galinha (de verdade) ou de camarão. Mas sinceramente, já tem algum tempo que não consigo fazer isto e tenho apelado para as comodidades encontradas nas gôndolas de supermercado. E outra coisa, depois que vi o Alex Atala fazendo propaganda de caldo Maggi ou Knorr (nem sei qual é), senti um alívio no meu peito. Antes de me jogarem na fogueira, vai o Alex Atala antes.
Chega de papo furado e vamos à receita.


Risoto de Camarão

Ingredientes:

1,3l de água fervente
2 sachês de caldo de galinha (utilizo o Qualimax Express 0% de gordura)
1/2 vidro de palmito (se tiver menos camarão, coloque o vidro todo)
2 1/2 xícaras (chá) de arroz arbóreo
1kg de camarão médio
1/2 maço de salsinha bem picada
2 cebolas bem picadas
2 colheres (chá) de manteiga
2 colheres (chá) de azeite
1 cálice de vinho branco seco
2 xícaras (chá) de queijo parmesão ralado grosso
2 colheres (sopa) de requeijão ou catupiry
1 lata de tomate tipo italiano

Uma das coisas que aprendi para fazer risoto é escolher uma panela de fundo grosso. Se você escolher uma panela de alumínio, por exemplo, vai ficar grudando no fundo o tempo todo. Então procure uma panela de inox ou de ferro para fazer o seu risoto.

A base do risoto é o caldo. Você deve mantê-lo em fogo baixo ao lado da sua panela do risoto, pois você precisará ir adicionando o líquido sempre quente.

Coloque na panela a manteiga e o azeite. Vi um chef uma vez dizendo que você deve colocar o azeite para não queimar a manteiga. Assim que aquecer, coloque a cebola e deixe refogar até ficar transparente. Adicione o arroz, mexa bem de forma que a manteiga com a cebola envolvam bem.



Adicione o vinho branco, mexa bem e deixe evaporar o álcool. Uma chef de cozinha um dia me disse que o vinho branco é apenas para garantir perfume e uma certa acidez e que se quisesse poderia substituir o vinho branco por algumas gotas de limão. Fica a dica.

Então adicione o tomate. Sempre mexendo. É necessário mexer para ir soltando o amido para o risoto ficar bem molhadinho.

Quando o líquido secar e você perceber que está pegando no fundo da panela, adicione uma concha do caldo de galinha e mexa. Deixe secar um pouquinho e adicione outra concha. A partir do primeiro líquido, no caso aqui, o tomate, eu calculo uns 20 minutos para que o risoto esteja no ponto. Mas isto depende do ponto que você gosta do cozimento do arroz. Pode ser mais ou menos tempo.

Quando você ver que já está quase no ponto que você gostaria, adicione o camarão, o queijo, o requeijão e a salsinha e mexa bem. O camarão não precisa de muito tempo de cozimento. É muito rápido. Assim que você ver que ele já está vermelhinho, com cara de cozido, pode desligar o fogo. Coisa de 3 minutos é o suficiente. Se deixar muito tempo, seu camarão ficará com textura de borracha.

O risoto deve ficar bem úmido. A medida que ele vai esfriando vai secando o líquido. Sirva quente. Não é um prato para ficar esperando. E quem aguentaria ficar esperando não é?

4 comentários:

Johane disse...

Juci, estou com água na boca!! Ainda não conhecia esse dote seu!!! Vou imprimir e tentar repetir o prato!!! Bjosss...

Rudolf disse...

Minha querida amiga Juci, estou gostando de ver suas receitas! Ainda não ví aquele seu maravilhoso lombo de porco com molho cremoso de pimentas verdes que você fez para nós no Rio (ainda no século passado!) E estou na esperança de ficar magricelo, você diz aí que perdeu uns quilinhos! Eu estou calibrado em 7 arrobas (agora eu meço assim, é mais fácil depois dos 100kg), e só de ver as fotos acho que já aumentei uma arroba! Não vá explodir o meu amigo! Beijos pra todos, Rudy

Ana Sixx disse...

Juci, que delícia!!!!!
E suas dicas??
Dignas de cheff!!!!

Com certeza antes de vc ser lançada a fogueira o Atala, vai, hahahhah. Eu mesma empurro, pode deixar, ahah
bjs

Renata disse...

Juci,

sinto dizer mais vou ter que parar de ler seu blog. Só tenho tempo de ligar o pc a noite, quando estou morrendo de fome e sem nada muito interessante na geladeira... rsrsrsrs

É uma tortura (deliciosa!) ler seu blog nestas condições!!!